Utilizamos cookies para assegurar que lhe fornecemos a melhor experiência na nossa página web. Ao continuar a navegar consideramos que aceita o seu uso. Leia aqui a nossa Politica de Cookies.

Compreendo e Aceito

O já anunciado porto espacial para lançamento de microssatélites, Portugal Space, será construído na ilha de Santa Maria, uma iniciativa que partiu do Governo e que envolve a participação da ANI.

Os termos para a constituição da agência espacial portuguesa foram aprovados em Conselho de Ministros, que autorizou a associação da Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT) à ANI, a uma entidade da Defesa Nacional, a uma outra a indicar pela Região Autónoma dos Açores, a par da colaboração da Agência Espacial Europeia (ESA).

A criação da nova agência visa promover e executar a estratégia “Portugal Espaço 2030” através da gestão dos programas nacionais ligados ao espaço, que têm como objetivo a criação de emprego qualificado, o aumento do investimento e as ciências e tecnologias do Espaço.

O ministro da Ciência, Tecnologia e do Ensino Superior, Manuel Heitor, espera que a Portugal Space permita, em 2030, a criação de mil novos empregos no setor e um investimento das empresas em cerca de 400 milhões de euros. Neste momento, a faturação das empresas portuguesas da área aeroespacial situa-se nos 40 milhões de euros anuais.

 

ANI participou na Cerimónia de Constituição da Agência Espacial Portuguesa

A ANI fez-se representar na cerimónia de assinatura da escritura de constituição da agência espacial portuguesa, que decorreu no dia 18 de março, em Ponta Delgada. O ministro da Ciência valorizou este "passo para o futuro" na estratégia europeia para o espaço. "A ambição que temos é multiplicar por dez vezes os negócios na área espacial em Portugal, certamente valorizando o conhecimento científico, a capacidade empreendedora, e o conhecimento que se gera e produz nos nossos centros de investigação, universidades e politécnicos", vincou o ministro Manuel Heitor.

Nos últimos anos, o investimento privado no sector espacial atingiu um número record, traduzindo-se num número crescente de pequenas empresas de base científica que se constituem num novo ecossistema empresarial.

 

Portugal reconhecido como autoridade global até 2030

Espera-se que Portugal seja, até 2030, amplamente reconhecido como uma autoridade global para a ciência e economia das interações Espaço-Terra-Clima-Oceanos. O objetivo é recorrer às tecnologias de "double use" para observação da terra, que tenham como foco a segurança das interações "espaço-oceano" e a promoção de métodos que tragam benefícios para a sociedade.

Os objetivos principais traçados para a criação da Portugal Space foram:

  • Promover o crescimento económico e o número de postos de trabalho;
  • Criar dados através de novas tecnologias espaciais e de infraestruturas relacionadas com o espaço em Portugal;
  • Contribuir para o desenvolvimento do país e para o fortalecimento das relações diplomáticas e da cooperação científica internacional;
  • Assegurar o desenvolvimento e evolução dos quadros jurídico, financeiro, institucional, de internacionalização cultural/educacional capazes de impulsionar o desenvolvimento do setor espacial em Portugal.

A agência espacial portuguesa vai coordenar, em articulação com o Governo Regional dos Açores, o programa de lançamento de pequenos satélites que é um dos pilares da estratégia nacional para o setor do espaço - "Portugal Espaço 2030". Espera-se que os primeiros lançamentos se realizem durante a primavera ou verão de 2021.

Mais informação

Brochura "Estratégia Portugal Espaço 2030"

Portugal Espaço 2030 - Estratégia de investigação, inovação e crescimento

 

08/03/2019
calendário
DOCUMENTOS DE APOIO
Sem Documentos
CONTACTOS
info@ani.pt
Tel.: +351 21 423 21 00
PARTILHAR NAS REDES SOCIAIS |